fbpx

Fintechs: por que estão revolucionando o mercado financeiro?

Fintechs
6 minutos para ler

A forma como as pessoas e as empresas lidam com seus investimentos muda constantemente no mundo, em especial pelos recursos tecnológicos. A internet e a mobilidade estão tornando as agências bancárias cada vez menos necessárias, principalmente com o surgimento de empreendimentos como as fintechs.

As fintechs são empresas nascidas na era das transformações digitais e que estão trazendo mais mudanças (e recursos) que as instituições financeiras tradicionais. Neste post, você vai entender mais sobre o termo, quais as principais aplicações, entre outros pontos. Acompanhe!

O que são fintechs?

Basicamente, as fintechs são empresas ou negócios disruptores que atuam no setor financeiro. Elas se destacam por apresentar alguma ferramenta tecnológica que as difere das tradicionais empresas do mercado. A própria formação do nome sugere a junção entre o financeiro (“fin”) e tecnologia (“tech”), daí a ideia de que elas formam um nicho específico.

A premissa das fintechs é o desenvolvimento de produtos e serviços financeiros inovadores, que, diferentemente das instituições financeiras convencionais, têm como foco as necessidades do cliente, e não apenas o produto. O intuito é ser mais ágil e apresentar um atendimento melhor, transparente e favorável ao consumidor.

Qual a aplicação das fintechs no mercado financeiro?

As fintechs atuam em diferentes categorias, algumas já existentes no mercado financeiro, como créditos, investimentos e pagamentos, ou em segmentos mais novos, como o caso do blockchain ou bitcoins. As principais categorias são:

  • pagamentos;
  • gerenciamento financeiros;
  • empréstimos e negociação de dívidas;
  • funding (captação de recursos para investimentos);
  • investimentos;
  • eficiência financeira;
  • bitcoins, blockchain e investimentos em criptomoedas;
  • seguros;
  • financiamento coletivo;
  • organização de finanças;
  • coleta de dados;
  • gestão de investimentos;
  • investimentos em negócios disruptivos;
  • comparação de investimentos;
  • financiamento no mercado imobiliário.

Por que as fintechs investem no atendimento e experiência do cliente?

Os três pilares das fintechs são eficiência, redução de custos e foco na experiência do cliente. Esses pilares se mostram os diferenciais das fintechs, que, diferente dos grandes bancos, trabalham para facilitar ao máximo a vida das pessoas por meio de processos ágeis e transparentes.

Mais do que o uso de ferramentas tecnológicas, essas empresas criam o ambiente favorável para que seus consumidores possam utilizar seus serviços com rapidez e segurança. É essa a postura que gera o crescimento das fintechs.

Por exemplo, enquanto uma instituição bancária tradicional, muitas vezes, exige a presença do cliente para abrir uma conta ou realizar uma transação de investimento, as fintechs tornam o processo mais rápido, por meio de mecanismos seguros e eficientes. Hoje, já é possível abrir uma conta, fazer um empréstimo ou investimento só com os documentos e um dispositivo com acesso à internet.

Veja alguns dos benefícios:

  • tecnologia: possibilita resolver quase tudo online com segurança;
  • agilidade: redução da burocracia;
  • novidade: serviços inovadores, com novas abordagens e soluções;
  • preço justo: geralmente, os serviços são mais baratos, com qualidade semelhante ou superior à dos bancos.

Atendimento é o diferencial das fintechs?

Sim, se, antes, os bancos, muitas vezes, exigiam a presença do cliente na agência e limitavam os recursos de autoatendimento, hoje, as fintechs focam a facilidade e agilidade no atendimento, em especial utilizando as ferramentas online. Chatbots, e-mail, respostas pela rede social e a automatização do atendimento como um todo são alguns dos recursos de que essas empresas não abrem mão e que priorizam pela boa experiência do usuário.

O intuito é entregar mais do que os clientes esperam e não só oferecer serviços online, mas também soluções rápidas e seguras. Dessa forma, questões mais simples são resolvidas no autoatendimento, enquanto os problemas mais complexos são endereçados por operadores de suporte, que também focam seus esforços na agilidade.

As fintechs são um exemplo de como é possível ganhar espaço dando ênfase na solução de um problema de mercado: a burocracia no atendimento dos bancos. Esse foi um fator determinante para o crescimento dos investimentos no setor. O cliente passou a ser novamente o centro do serviço prestado, com atendimento personalizado, o que é tão necessário para os negócios que estão envolvidos, o que gera uma boa aceitação do mercado e transmite confiança ao público.

Além disso, essas empresas atendem às demandas do setor de atendimento e acompanham todas suas inovações/ tendências. Isso é um dos fatores que explicam a grande aceitação dos consumidores. Uma pesquisa conduzida pela Google no fim de 2018 mostrou que 71% dos clientes estão satisfeitos com os serviços oferecidos pelas fintechs. Os bancos, por sua vez, apresentam um índice menor, de 42%.

Dessa forma, ao reinventar o modo como os serviços financeiros são executados, desburocratizando processos e entregando um atendimento de qualidade e por um preço inferior aos praticados pelas instituições bancárias convencionais, as empresas ganham mercado e, principalmente, a confiança dos consumidores.

Qual a diferença entre fintech e startup?

As startups apresentam modelos de negócio escaláveis, inovadores, apoiados em recursos tecnológicos e de baixo custo de implementação. Geralmente, estão imersas em uma cultura nova, capaz de modificar processos de um segmento tradicional. A partir dessa premissa, as startups reinventam serviços, tornam processos mais eficientes e produtos mais baratos.

As fintechs seriam uma evolução das startups voltada ao mercado financeiro. Sua relação com os bancos nem sempre é harmoniosa, uma vez que as instituições bancárias, muitas vezes, se sentem ameaçadas pelas inovações desenvolvidas pelas fintechs, embora haja casos em que elas se aliam às fintechs para oferecer novos produtos ou serviços.

Como será o futuro das fintechs no Brasil?

No Brasil, mesmo com o amadurecimento do ecossistema de inovação, ainda há muito a crescer. Atualmente, muitas dessas empresas já estão operando, recebem investimentos e crescem a cada dia. O público está cada vez mais propício a utilizar as soluções oferecidas, mas ainda há uma certa dúvida por parte dos clientes.

A falta de regulamentação específica ainda é uma barreira, mesmo com a aprovação do Banco Central para que seja possível realizar pagamentos por meio de celulares e serviços como cartões pré-pagos sem intermédio das instituições financeiras.

Apesar disso, as fintechs ganham espaço, agradam os consumidores e disponibilizam serviços disruptivos, capazes de modificar o cenário financeiro como um todo.

Gostou do nosso artigo? Então, siga nossos perfis nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-